No recente crescimento do agronegócio brasileiro, a cidade de Rio Verde tem se destacado por contar com uma considerável estrutura agroindustrial e uma importante cooperativa agrícola, a Comigo.
Outras empresas do segmento do agronegócio também atuam no município como: Cargill – que conta com uma unidade de extração e refino de óleo de soja -, Grupo Cereal – insumos agrícolas (barter), armazenagem de grãos, esmagamento de soja (produção de farelo e óleo degomado), desativação de soja, nutrição animal (rações, proteinados, sais minerais e ureados) e exportação (trade) -, e ainda a Brejeiro – atendendo apenas a produtores da região na recepção de grãos -, que agregam valor à sua produção agrícola.
O município é o maior produtor de soja do estado, com uma média produzida de 579.600 toneladas.[11] É também um importante produtor de arroz, milho, algodão, sorgo, feijão e girassol.[12] Conta ainda com um importante plantel bovino, avícola e suíno. Destaque também para o processamento industrial de carnes de aves e suínos da BRF, abate de bovinos por meio de uma planta industrial do Marfrig e indústrias no segmento de embalagens metálicas, plásticas e celulose. Bem como também de implementos rodoviários.
O turismo local se baseia em feiras e eventos ligados ao agronegócio como a Expo Rio Verde, feira agropecuária organizada pelo Sindicato Rural de Rio Verde e que já conta com a realização de mais de 55 edições e a Tecnoshow – Comigo, que é uma feira nacional direcionada ao segmento de tecnologia agrícola.[13] Outras como de ecoturismo, rodeiose a recepção do turismo de negócios por meio da Sudoexpo, direcionada ao segmento empresarial como um todo que acontece bienalmente em anos pares, realizada pela Associação Comercial e Industrial de Rio Verde (ACIRV).[14] Para atender tal demanda, a cidade possuí mais de trinta hotéis, com mais de mil e quinhentos leitos, dentre eles, um de padrão internacional franqueado da rede Blue Tree Hotels.
O Aeroporto de Rio Verde, conta com pista asfaltada de 1500 m, iluminação, terminal de passageiros, e possui voos diários atendidos pela Azul Linhas Aéreas com destino a Campinas.[carece de fontes]
O município conta com mais de cinquenta escolas próprias de primeiro grau, vinte e quatro escolas estaduais de primeiro e segundo grau e vinte particulares. Conta com cinco instituições de ensino superior – Universidade de Rio Verde (UniRV), o Instituto Federal Goiano (IFET), a Faculdade Almeida Rodrigues, a Faculdade Objetivo e ainda mais três centros de ensino profissionalizante do Sistema “S” como o Sesi/Senai,[15] o Senac[16] e o SEST e SENAT.[17]
A cidade conta com sete estações de rádio (96FM, Morada do Sol FM, Líder FM, Cidade FM, Clube FM, Serra Dourada Rio Verde FM e Rio Verde AM), quatro emissoras de televisão, sendo uma geradora de informações locais afiliada a Rede Anhanguera e Rede Globo [18] e outra como a Rede Sucesso (Record), mais uma operadora de TV a cabo digital e seis jornais e revistas. É atendida ainda pelas quatro maiores operadoras de celulares do País OI, Vivo, Claro e TIM, além de outras duas no segmento de telefonia fixa, internet e TV por assinatura: OI e GVT.
Rio Verde detinha em 2012 um Produto Interno Bruto PIB de pouco mais 6 bilhões e 264 milhões e 991 mil reais – se mantendo como o quarto maior do Estado de Goiás -, o que dividido pela estimativa de seu número de habitantes no mesmo ano, lhe dá um produto per capita de: R$ 33.779,90.
Em 2010 o município registrou o maior crescimento na agropecuária do país, saltando do 12º lugar para o topo do ranking nacional. A partir do ano seguinte o município entra em estagnação econômica e perde a posição para a também cidade goiana de Cristalina, o que resultou numa perda de R$ 100 milhões de reais no seu PIB em 2010, reduzindo também sua participação na economia do município por habitante, ocasionando uma perda de R$ 2.561,58. Ou seja, a cidade ficou mais pobre.
Mas apesar de ainda ser um município rico, Rio Verde ainda não conseguiu erradicar os bolsões de pobreza verificados em suas periferias. E mesmo com tantas escolas, cursos técnicos disponíveis e superiores, existe uma enorme dificuldade de os jovens da cidade conseguirem se qualificar, dado aos horários de estudo e trabalho serem inconciliáveis pela maioria, que trabalha nas agroindústrias do segmento de carnes e processamento de grãos, e ainda pela incompatibilidade de renda e o custo dos cursos.
Com isso a indisponibilidade de mão de obra qualificada (que é a principal queixa dos empresários locais, que os quais importam essa mão-de-obra de outros estados do Sul e Sudeste do país), dificilmente será um problema solucionado no curto prazo.
O município vive a expectativa da entrega do trecho sul da Ferrovia Norte-Sul, a qual já se encontra praticamente em sua fase final de conclusão e ainda, da implantação do terminal de cargas multimodal que atenderá à demanda por transporte de grãos, bem como também, a exportação dos produtos industrializados produzidos nele.

Responder