Como finalista da competição, a bailarina Carolyne Galvão ganhou uma bolsa de estudo na escola de dança que escolher.

Foto: Reprodução

A bailarina Carolyne Freitas Galvão, de 17 anos, ficou entre as oito melhores no mundo no Prix de Lausanne 2018, uma competição de dança internacional que acontece anualmente em Lausana, na Suíça.

A competição aconteceu entre os dias 28 de janeiro e 4 de fevereiro. Dos selecionados, apenas três eram brasileiros e Carolyne a única goiana.

Prix premia bailarinas e bailarinos com bolsas integrais para estudarem balé em diversas partes do mundo, em escolas ou companhias, com liberdade de escolha para o artista. Durante a participação no Prix de Lausanne 2018, Carolyne Galvão, recebeu o Prêmio da Audiência Pública, que é uma votação online entre o público que assistiu ao espetáculo em qualquer parte do mundo. Ela foi a mais votada.

Dos 21 bailarinos selecionados para a final, oito conquistaram as oito bolsas de estudo atribuídas todos os anos. Estas oito pessoas são chamadas de Prize Winners. Os classificados (as) ganham Becca’s, que são bolsas de estudos ou contratos na área de ballet em escolas ou companhias de dança internacionais.

Os vencedores escolhem para onde querem ir e um patrocinador do Prix de Lausanne paga a bolsa de estudos ou contratos para o aluno por um ano.

Como finalista da competição, classificada entre as oito melhores do mundo, a bailarina Carolyne Galvão vai poder escolher onde quer estudar e dançar.

Carolyne é bailarina do Balé do Teatro-Escola Basileu França desde 2012.

*Com informações do Goiás Agora

Por: Juliana Nogueira

Responder