Ministério da Saúde vai enviar 1.752.600 doses para Goiás. Próxima remessa está prevista para dia 24.

 O aumento no múmero de casos de H1N1 em Goiás deixa o Estado em alerta para epidemia. O último Boletim Epidemiológico confirma 577 casos de Síndrome Respiratório Aguda Grave (Srag) em 2018: 103 casos de influenza, 92 por H1N1, 10 por H3n2 e um por Influenza B. Outros 224 casos estão em investigação.

A Secretaria da Saúde garante que apesar dos casos de H1N1 ter crescido nas últimas semanas, está abaixo dos números de 2016, ano com alta incidência da doença. No mesmo período daquele ano foram confirmados 152 casos, com 35 mortes.

Segundo a gerente de Vigilância Epidemiológica da SES, Magna Maria de Carvalho, todas as ações estão sendo feitas para o enfrentamento desse cenário. “Agimos rápido e sensibilizamos o Ministério da Saúde para que antecipasse o envio das doses para Goiás, criamos um comitê para discutir em conjunto com os municípios medidas estratégicas, ampliamos a oferta do número de leitos para o atendimento a pacientes graves e o medicamento indicado para o tratamento não está em falta”, disse.

Ela ainda frisou que Goiás não está em uma epidemia da doença, mas que todas as ações de controle foram realizadas tendo como referência esse cenário. A gerente também destaca que 92% das mortes por H1N1 aconteceram em pacientes que estavam nos grupos de risco. “Por isso a importância de respeitar a vacinação para esse público, já que são mais suscetíveis ao agravamento da doença”, disse ao pontuar que mesmo as pessoas que foram vacinadas devem continuar com as medidas de prevenção.

Entre medidas de prevenção estão em não levar crianças muito pequenas, gestantes ou idosos em locais onde há aglomeração; lavar, sempre, as mãos com água e sabão ao voltar da rua ou sempre que tiver contato com muitas pessoas; usar lenços de papel ao tossir e espirrar e, diante de qualquer sinal de alarme como febre alta, falta de ar e dor no corpo procurar, imediatamente, auxílio médico.

Perguntada sobre notícias de roubo de vacina em posto de Saúde, Magna esclareceu que qualquer cidadão, caso perceba alguma irregularidade, pode denunciar para as secretarias municipais ou mesmo a ouvidoria do SUS em Goiás, pelo telefone 0800-6433700.

Devido ao aumento do número de casos de Srag em Goiás, o Ministério da Saúde antecipou a Campanha de Vacinação contra Influenza no Estado, que começou na última sexta-feira, 13 e vai até o dia 1º de junho. A SES recebeu do MS, até o momento, 948 mil doses da vacina, incluindo as 300 mil recebidas nesta terça-feira, 17. Ao todo o Ministério enviará 1.752.600 doses para o Estado.

A próxima remessa das vacinas está prevista para chegar na terça-feira, dia 24, com 279 mil doses. No total o MS enviará seis remessas da vacina até o final da campanha. “A SES, junto com o Ministério da Saúde, se planejou para receber as doses da vacina em um intervalo de tempo adequado para que não tenha déficit de vacinas”, comentou Joice. A previsão é vacinar um total de 1.593.242 pessoas dos grupos prioritários.

Joice ainda explica que todas as doses são suficientes para vacinar os grupos prioritários definidos para a imunização, que no primeiro momento os trabalhadores da saúde, os idosos e pacientes com doenças crônicas. Depois será a vez de crianças, gestantes, mães de resguardo, professores, e população privada de liberdade, além dos indígenas, conforme as datas estabelecidas.

Confira as datas:

– 13/04 a 20/5 – idosos, trabalhadores da saúde e portadores de doenças crônicas

– 23/04 a 27/04 – gestantes, mães em resguardo do pós-parto e crianças de 6 meses a 5 anos

– 30/04 a 11/05 – professores

– 12/05 – Todos os grupos prioritários

– 14/05 a 01/06 – Todos os grupos prioritários

– 13/04 a 01/06 – Indígenas

– População privada de liberdade e funcionários do sistema prisional: agendamento feito pelo município.

Fonte: Goias Agora

Responder